domingo, 1 de agosto 2021
Paulo Andre GONCALVES DA SILVA (BRA) vs Roberto Carlos MARTINEZ ARMENTA (MEX)

MS ajuda Brasil a garantir medalha no Pan Cadete e Júnior de Luta Olímpica e vagas a torneio continental inédito

Postado em 14 de junho de 2021, por Cléber Soares.

Mato Grosso do Sul ajudou a seleção brasileira de wrestling (modalidade também conhecida como luta olímpica) a conquistar uma medalha de prata no Campeonato Pan-Americano Cadete e Júnior 2021, disputado em Oaextepec, no México, de 9 e 13 de junho. Além disso, dois atletas sul-mato-grossenses asseguraram vaga à primeira edição dos Jogos Pan-Americanos Júnior, que acontecerá de 25 de novembro a 5 de dezembro deste ano, em Cali, na Colômbia.

Na classe cadete (15 a 17 anos), Paulo André Gonçalves da Silva faturou a medalha prateada na categoria até 65 quilogramas (kg), estilo livre masculino. O atleta de 17 anos superou o chileno Franco Palma na estreia por finalização touché (encostamento) e na segunda rodada foi batido pelo estadunidense Pierson Manville por superioridade técnica (10 a 0). No confronto seguinte, recuperou-se e venceu por 10 a 0 o peruano Marco Cubas.

A luta decisiva pela prata do sul-mato-grossense foi contra Roberto Armenta, do México. Paulo André comandou a disputa e, incentivado pelos torcedores de equipe, segurou as investidas do adversário mexicano, para fechar o placar em 9 a 8 e ficar em segundo lugar.

Paulo André (amarelo) foi melhor que o mexicano na briga pela prata.

Já Assíria Daniela Maurício da Silva, pela classe júnior (18 a 20 anos) até 53 kg, no estilo livre feminino, teve uma estreia de reviravoltas. A brasileira por pouco não foi encostada pela chilena Javiera Bermudez. Depois de conseguir se livrar da posição de perigo, a lutadora de Mato Grosso do Sul inverteu a posição, submeteu as costas da oponente no solo e venceu por touché.

Na semifinal, a sul-mato-grossense de 20 anos não resistiu ao ataque da estadunidense Jaslynn Gallegos e foi encostada. Na luta pelo bronze, a atleta da seleção brasileira enfrentou a mexicana Zeltzin Guerra. A anfitriã apresentou maior volume de luta e ficou com o terceiro lugar ao vencer por 13 a 2. A quinta colocação garantiu Assíria nos Jogos Pan-Americanos Júnior.

Pedro Samuel Gonçalves da Silva, de 19 anos, também viajará à Colômbia em novembro. O campo-grandense, pela livre masculino júnior, até 74 kg, estreou com vitória por superioridade técnica (11 a 0) sobre o argentino Augusto Neiva. Nas quartas de finais, Pedro enfrentou o dominicano Juan Martinez e vencia por 5 a 1. O brasileiro tentou atacar, mas sofreu um contragolpe e foi encostado. Como o atleta da República Dominicana perdeu a luta seguinte, o brasileiro não pôde regressar na repescagem e terminou em sétimo lugar.

Os três atletas sul-mato-grossenses são irmãos e treinam na RA Academia Fitness e Combat, em Campo Grande. No México, tiveram a companhia do técnico Agnaldo Pereira dos Santos, um dos treinadores convocados pela Confederação Brasileira de Wrestling (CBW) para comandar o selecionado verde e amarelo na competição continental organizada pela federação internacional da modalidade (United World Wrestling – UWW).

Wrestling de MS é uma das referências no país.

O Brasil foi representado por 32 atletas entre cadetes e juniores, delegação recorde em torneios internacionais. O wrestling tupiniquim encerrou o Pan Cadete e Júnior 2021 na terceira colocação geral, com 13 medalhas (uma de ouro, cinco de prata e sete de bronze) e 10 classificações aos inéditos Jogos Pan-Americanos da Juventude Cali 2021.

Bolsa Atleta e Técnico – A última edição (2019-20) do programa Bolsa Atleta e Bolsa Técnico, criado pelo Governo do Estado e concedido pela Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), teve Assíria Daniela, Pedro Samuel e Agnaldo Santos entre os contemplados. Os três profissionais do esporte, assim como Paulo André Silva, inscreveram-se para pleitear o auxílio financeiro neste ano (2021-22). As bolsas mensais beneficiarão, ao todo, 235 atletas e 30 técnicos em 11 categorias.

O Governo do Estado investirá R$ 2,74 milhões no programa, somando-se todas as 12 parcelas (R$ 227.750,00 por mês), valor que representa o dobro de recursos da edição anterior. A quantidade de bolsas ofertadas também foi ampliada em 40% (de 190 para 265: 235 atletas e 30 técnicos), além do aumento de 80% no número de categorias (de cinco para 11).

Fundesporte / Lucas Castro

Fotos:  Osvaldo Aguilar/UWW

Veja também

Magnus e Joinville decidem o título da 48ª Taça Brasil hoje a noite no ginásio da UNIGRAN

Magnus Futsal (SP) e Joinville EC (SC) decidem, neste sábado (31), às 19 horas (horário …